quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Hoje não dá...






...hoje não dá. Está um dia tão bonito lá fora e eu quero brincar... ♪
(Legião Urbana)



E chega um tempo em que tudo cansa. Você cansa das mentiras que conta pras pessoas gostarem mais de você. Cansa das mentiras que conta pra si mesmo pra tentar melhorar um pouco a realidade de quem é que não te agrada. Cansa de ver o tempo passar e você mesmo não passar de um passado mal resolvido. Cansa de olhar em volta e ver tudo igual. Cansa de dizer que "vai fazer" e não sair do lugar. Cansa de não entender porque você, mesmo com tudo na mão pra caminhar, prefere ficar preso à dores e vestígios de passados mal acabados que não valem a pena. Eu cansei. Estacionei minha vida. Tive motivos, eu sei. Mas já passou, não dá pra ficar a vida toda dentro de um buraco com medo do sol. Me decepcionei comigo. Eu um dia tive todas as cores, todo amor, vários sorrisos, e uma porção de boas histórias pra contar. E hoje, o que eu tenho? Não sei. As cores ainda me acompanham, bem fracas, só uma reluz, o verde, esse que me impulsiona a escrever. O amor... aquele grande amor... como diria Caio "que miséria o grande amor, depois do fim, só resta o nó na garganta"... hoje tenho carinho, um carinho tão bonito que me arranca sorrisos. Mas não tenho aquele algo a mais sabe? Espero que ele chegue aos poucos, com calma e me tome. Os sorrisos? Deles já falei. E as histórias? Essas são tristes, mas vou escrevê-las num tom arco-íris. Afinal, o que me falta, né? Só levantar, está tudo aqui, na minha mão. Só preciso de prumo, de direção. Alias, não preciso de direção, sem direção é mais gostoso, ir onde o vento levar.

Que me perdoem os amores do passado aos quais me prendi, que me perdoem as lembranças que tentei guardar e não consegui, que me perdoem os sentimentos que magoei e que eu me perdoe por me deixar ser magoado. Jogo tudo isso ao vento. Agora.

É isso, vou voar.