quarta-feira, 24 de agosto de 2011

♪ É preciso saber viver... ♫




É preciso aprender a ser sozinho.
É preciso aprender a conversar com os animais, com as plantas, com qualquer coisa que não seja humana.
É preciso aprender a conviver com o vazio, porque ele é o que mais dói e o que nunca vai embora.
É preciso também aprender a conviver com a dor.
É preciso aprender a não se apegar, porque quanto mais você se apega, mais você sofre.
É preciso aprender a chorar, porque é o único alívio pra alma.
É preciso sentir menos, porque o sentimento começa como a melhor coisa do mundo, mas depois te destrói.
É preciso aprender a perder as pessoas, porque elas sempre vão, seja pela morte ou por outro motivo qualquer.
É preciso aprender a nunca duvidar de Deus, porque essa força que ninguém consegue descrever, vem Dele que nunca nos abandona.
É preciso aprender a se perder, porque essa busca para encontrarmos a nós mesmos é eterna e não adianta em nada.
É preciso aprender a lidar com a falsidade alheia sem se contaminar com ela, porque é o único jeito que os fúteis tem de serem menos infelizes.
É preciso saber acordar, porque por mais que esteja difícil, não há nada como o milagre de viver.
É preciso saber dormir, porque não se pode deixar de agradecer.
É preciso aprender a não ter colo, porque quando a dor estiver insuportável, você terá que enfrentá-la sozinho.
É preciso aprender a lidar com falta de reconhecimento das pessoas em relação ao que você faz, porque reconhecimento, é pura ilusão.
Pior ainda, é preciso aprender a lidar com a falta de reconhecimento das pessoas em relação ao milagre da vida, porque esses ainda não aprenderam a olhar além do que se vê.
É preciso aprender a entender a falta, a saudade e todos esses sentimentos que deixam um buraco dentro da gente, porque esse buraco, não tem cura.
É preciso aprender a não pensar muito, porque os pensamentos podem nos deixar loucos, mesmo.
É preciso aprender também a ser triste, porque a felicidade é feita de pequenos momentos, mas as marcas doloridas você carrega pra vida inteira e elas latejam, sempre.
E importante aprender a sorrir, porque algumas pessoas se importam com você e você não pode decepcioná-las.
E acima de tudo, é preciso continuar, sempre.
Como diz Caio: Não há nada a ser esperado, nem desesperado, por isso caminhe, porque apesar e acima de tudo, caminhar é preciso.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Cansaço...




Ando cansada...
Cansada de esperar, cansada de sempre estar em segundo lugar... cansada de sempre estar errada, cansada de sempre me sentir culpada por coisas que eu não faço... cansada de correr atrás, cansada de chorar... cansada de nunca ouvir um "desculpa, foi mal"... cansada de toda frieza, toda falta de importância... cansada de me sentir nada, quando deveria ser tudo... cansada das noites mal dormidas, palavras jogadas ao vento... cansada do silêncio... alias, o silêncio é o que mais me dói... não sie lidar com ele, não sei simplesmente ficar quieta ao invés de conversar e resolver o problema, não sei fingir que nada aconteceu e e que eu não me importo. Não sei! Infelizmente, porque vivo tentando aprender a ser assim, mas acho que ainda não aprendi porque não quero, porque sou boba e continuo me pondo em segundo lugar, o que é burrice porque se eu me ponho em segundo lugar todos vão me por... sabe, eu quero crescer... quero alguém de atitude, alguém que lute por si mesmo e por mim, não quero me acomodar a vida ruim que vem se sucedendo... eu quero mais... eu quero estudar, quero ser alguém, quero ser independente, quero dar orgulho pro meu pai, quero muito ver ele todo bobo com a filha formada, quero poder cuidar da minha mãe e enfim vê-la sorrir... e eu sou do tipo de pessoa que precisa de alguém por trás, entende? Porque na maioria das vezes esse caminho é difícil e eu sempre acabo desistindo, mas não posso desistir dessa vez, independente dos pendentes, tenho que fazer isso por mim mesma, acima de tudo... e que se danem o amor cheio de silêncios e todas as outras dificuldades da vida, eu vou passar por cima disso e vou ser alguém, eu preciso desse crescimento, preciso. Eu sou muito mais do que imagino ser. Sou, sim.

sábado, 7 de maio de 2011

As escuras...




E era lá, em frente ao mar, em cima daquela pedra do Arpoador onde tudo acontecia, meu encontro às escuras, escondido de tudo e todos... Lá era onde eu me encontrava com minha amada mais fiel, aquela que me acolhia em seus braços e tomava minhas dores em seus beijos repletos de parenteses, onde sempre cabiam mais carinho... Minha amiga de todas horas, aquela que me faz ver as coisas como são, sem máscaras e aconselha cheia de vírgulas porque em nossa relação não há espaço pra pontos finais... Minha amante, a única que me saciava lasciva e mansa, que me amava e odiava, batia como forma de carinho, aquela que me tocava o corpo gemendo acentos graves de intensidade, num suor imundado de exclamações... A minha maior interrogação... Ela, sempre ela, que em noites insones, se reproduzia em um pedaço de papel com uma caneta vadia... A palavra.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Teu sorriso era minha felicidade...



"Eu sinto sua falta"...
Por tanto tempo eu quis ouvir isso de você. E ouço agora... me diz, o que eu faço com todas essas barreiras que nos separam? O que eu faço com toda essa mágoa que eu guardo aqui dentro? Com toda essa dor?

Meus Deus, como eu sinto a tua falta...

Como é difícil continuar e me acostumar a viver sem aquela pessoa que eu sempre tinha do meu lado, que achava que sempre poderia contar, aquela pessoa por quem eu dou minha vida.
Quanta dor em ouvir essas palavras, as palavras que eu sempre necessitei ouvir e nunca consegui, que eu sempre achei que me fariam tão bem... porque estão me fazendo tão mal? Porque eu sinto como se a nossa aproximação não tivesse volta? E, você sabe que não depende só de mim, quem dera dependesse, eu já teria retornado pro que éramos há muito tempo.
O que eu faço com esse amor aqui dentro, que parece inalterável, insuperável, inesquecível...?
Eu sinto tua falta, sinto tanto, sinto sempre. E agora me vejo aqui, escrevendo esse texto sem o mínimo sentido, sem porque, ou cheio de porquês, sei lá.
Você diz que eu mudei, você diz que eu errei, mas se eu fiz todo estrago, completamente sozinha, porque todos nos era próximos me deram razão, tentaram até te ajudar, mas ninguém aguentou tamanha ignorância e todos se afastaram de você. Porque?
Você diz que eu não te olho mais nos olhos... mas como olhar nos olhos da pessoa que eu mais amo no mundo sem poder dizer que a amo? Como fazer isso sem poder te dar ao menos um abraço? Como olhar nos teus olhos e ver o que você se tornou e me tornou junto? Ver esse tanto de tristeza dentro de você... tristeza essa, que você mesma faz questão de cultivar e até se vangloriar de senti-la, porque tens a faca e o queijo na mão e só não evolui porque não quer.
Como te olhar nos olhos e não poder te ajudar? Porque todas as maneiras possíveis já se esgotaram....
Sabe a minha vontade agora? Correr pro teu colo e chorar tudo isso que lateja aqui dentro... mas o seu colo não é mais o mesmo, você não é mais a mesma. Onde você tá, mãe? Me diz?...
Dá um sinal de fumaça, qualquer coisa, porque por mais bobo e impossível que isso pareça no momento, eu ainda tenho a esperança de te reencontrar.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Poesia é esse teu sorriso...





Esse teu olhar, que rompe a resistência de qualquer orgulho, barreira, impedimento meu... um olhar derretido, cor de terra, mas brilhoso, tipo água de mar... essa minha menina dos cabelos cacheados e do sorriso mais bonito que já vi... um sorriso de sol, de céu, de arco-íris, isso arco-íris, só que ela tem mais cores, tem todas as cores, colore minha vida... voz de criança, manhosa que só, quebra minhas pernas só fazendo bico... essa menina que me tem nas mãos, que nem sabe disso... ela tem jeito de pessoa forte, mas no fundo só quer colo, é que é difícil admitir... é meu vicío, meu maior acerto... me leva a lugares mágicos além da imaginação com um simples "eu amo você", me transporta sem esforço, apenas com palavras, nem preciso de muito, ela só de olhar já me faz um bem tão bonito... ela é bonita, é menina, é mulher, é fada, é princesa e é minha... com ela eu uso pronomes possessivos sem nenhum pudor, eu cuido, eu me entrego, eu até falo o que (pres)sinto, coisa que não sabia, aprendi... e o tesão? Ela faz meu corpo tremer, não tem como fugir, não, é mais forte que eu... como um imã, eu sou o ferro que nem sequer resiste... entre língua-boca-dentes, ela me tem... entre mãos-pernas-unhas, eu a tenho... entre pele-pelo-poro-calor-suor-mel, somos tudo, somos nós, somos uma... um amor nada convencional, nem sempre bem visto, nem sempre bem falado... porém o mais bonito... por quê? Ele é de verdade, é acima, é além... além do quê? Do eterno. Foi presente do Moço lá de cima, presente que trouxe sor(risos)... eu quero tudo com essa minha menina... porque ela... ah, ela é tudo pra mim...


P.S.: Ás vezes sinto falta desse tanto de amor...