sexta-feira, 10 de agosto de 2012

O nosso amor a gente inventa...

... pra se distrair. E quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu... (♫)




E resta a saudade, saudade do pouco que se teve, saudade do que nem se chegou a ter.

Saudade do gosto do beijo - mesmo quando machucava -, saudade do gosto da pele - mesmo reclamando das marcas -, saudade do cheiro - tanto o da pele, quanto o do perfume que eu ando pedindo pra não sentir mais por ai -, saudade da dança, saudade do jantar, saudade das músicas - começo de tudo -, saudade de todos os combinados quebrados, saudade até da tua alergia... de ouvir música com você, de fazer cd's pra você, de escrever pensando na gente, do amor delicioso que a gente fez, da sua voz, do seu jeito de falar, de andar, saudade de você tirando onda da minha cara - mesmo que às vezes eu quisesse te xingar -,  saudade de cada olhar - de quando me olhava com vontade, sabe? Mesmo que eu nunca tenha visto me olhar com carinho, com vontade eu via. Ilusão que a gente cria. Louco. -, saudade dos cabelos - o cheiro, os cachos -, saudade da sensualidade à flordapele - o tesão louco que rolou desde o primeiro toque -, saudade dos óculos esbarrando, do teu irmão engraçado, de ouvir você falando das comidas que teu pai ou tua mãe faziam. Saudade do teu abraço - e isso me cala -, saudade da espera - porque esperar você chegar era bom, esperar os dias passarem pra poder te ver era tenso, porém gostoso. Mas e agora, eu espero pelo quê? -, saudade da nossa leveza, menina... De que adianta toda essa saudade quando se sabe que ela não vai ser saciada? Hora de enxergar a realidade e levantar a cabeça. Chega de lágrimas, não vale a pena, não, o que vale a pena é sorriso. Hora de aprender que a maioria das pessoas não sabe lidar com sentimento, que ele fica pesado, invés de leve, pra elas. Sentimento pra mim é leve, é bonito, é grande, mas não pesa, porque faz bem. Mas não é assim pros outros. Uma hora a gente cansa de tantas tentativas. E se um alguém não pode segurar o teu amor, que esse amor seja compartilhado por ai, espalhado, jogado, inventado. O que não pode é desistir do amor. O importante é o desapego. E sorrir, porque com um sorriso no rosto, nada nunca é demais.

2 comentários:

.G disse...

A saudade é a certeza de que valeu a pena.
As lembranças é a certeza de que sentiremos saudade.
E a certeza é de que foi eterno enquanto durou...

Lilian disse...

Somos capazes de procurar justamente o que vai doer mais fundo.
Tem dias que eu daria um replay num momento agradável mesmo sabendo que vai machucar e vai doer pra sarar.